Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 170

REDUCIONISMO e REDUÇÃO – redução, em sentido genérico, como se sabe, é o ato de diminuir, apequenar algo; seja material ou não, pois tanto é possível reduzir um pedaço de madeira, quanto uma teoria, um discurso. A redução, no segundo caso é a tentativa de explicar uma Realidade mais complexa usando termos mais acessíveis, simples e/ou idéias ou exemplos mais comuns, mais fáceis de serem compreendidos. Este dicionário, por exemplo, é uma redução dos Sistemas Filosóficos, pois tenta (e espero que consiga) transformar temas complexos, obscuros, em estudos compreensíveis, facilmente assimiláveis.

Abordaremos na seqüência as duas teses sobre o tema que possuem maior notoriedade:

1. REDUÇÃO FENOMENOLÓGICA – na Fenomenologia de HUSSERL (1859/1938, atual República Tcheca) a Redução é um dos pontos centrais do chamado “Método Fenomenológico”, o qual estabelece que exista total atenção nas “Coisas mesmas” e NÃO nas teorias, pois essas “Coisas” são consideradas como Objetos reais e efetivamente existentes; quer se tenha, ou não, consciência sobre eles. O passo seguinte é a chamada “Redução Eidética” que é o ato de dirigir aquela mesma atenção total às “Essências das Coisas” e não ao aspecto material das mesmas. Na seqüência, chega-se à chamada “Redução Transcendental”, a qual ocorre quando a Consciência consegue abarcar as Essências e os respectivos Objetos, que passam a ser considerados “Fenômenos”; mas, atenção, outro tipo de “Fenômeno”, diferente dos “fenômenos materiais” que são apenas a parte das Coisas, passíveis de serem percebidas pelos Sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato). A Fenomenologia tem o objetivo de descrever, de explicar o que são os “Fenômenos Presentes na Consciência” e NÃO os fatos e/ou objetos físicos ou biológicos; sobre os quais, ela nada fala. Coloca-os “entre parênteses” e se nega a emitir qualquer juízo sobre os mesmos. Essa “Suspensão ou Negação” em dar um parecer, uma opinião (époche, em grego) sobre as Coisas físicas é, aliás, justamente a “Redução Fenomenológica”.

2. REDUÇÃO ao ABSURDO - é uma forma de contradizer uma tese, mostrando que a mesma pode gerar conseqüências “absurdas” segundo a Lógica e a Racionalidade.

REDUCIONISMO – é o nome dado a toda doutrina Filosófica, ou a toda atitude teórica que para explicar um fenômeno (um objeto, outra teoria, um processo etc.) complexo busca reduzi-lo ou diminuí-lo até atingir termos mais simples e comuns, para que sua compreensão ocorra sem qualquer dificuldade. Também tenta diminuir sua dificuldade, sua complexidade, utilizando comparações correspondentes, mas que sejam facilmente assimiláveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário