Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 168

RADICALISMO – em termos coloquiais é toda idéia, concepção e/ou atitude que vise uma mudança total – e violenta se for necessário – sobre uma condição ou situação estabelecida. Tanto em nível pessoal, quanto sócio-político e/ou filosófico,

Geralmente as atitudes radicais são irracionais e causam mais danos que benefícios, o que as leva a serem má vistas por todos que enxergam na calma, na paz interior a “verdadeira felicidade”. Em decorrência dessa rejeição – explicita ou velada – é que quase a totalidade do Mundo tenta evitar toda espécie de Radicalismo. Vê-se, por exemplo, na China, através do Confucionismo, que o “TAO” ou “O Centro” é estimulado como verdadeira panacéia; e noutras paragens, o Hinduísmo*, o Epicurismo* e outras tendências Filosóficas e Religiosas do mesmo teor tratam do “bem-estar e da evolução espiritual” do Homem para evitar os rompimentos bruscos, ou radicais.

Em termos de Política, o Radicalismo é um adjetivo muito comum na boca de quem se refere ao seu adversário. Não importa se tal característica é verdadeira ou não, nem em qual lado do espectro político estão quem fala e aquele de quem se fala. O termo “Radicalismo” torna-se um anátema lançado em todas as direções e a ele são associados conceitos apocalípticos, os quais, diga-se, nem sempre tem o menor fundamento.

Em outro ponto do Campo da Política, vê-se que o “Radicalismo” é, de fato, a Doutrina que prega a ruptura total com o Sistema vigente e a transformação profunda na ordem sócio-econômica e na escala de valores daquele agrupamento de Seres Humanos. Porém, tais mudanças não são necessariamente maléficas, exceto para aqueles que se beneficiavam das injustas condições que as precederam. Por isso, em certas situações o recurso extremo torna-se válido, embora seja eivado de efeitos colaterais que nem sempre são vantajosos.

No campo da Filosofia, o chamado “Radicalismo Filosófico” foi um Movimento que ocorreu na Inglaterra do século XIX, o qual contou em suas fileiras com Pensadores de renome, dentre os quais, podem ser citados: BENTHAM (Jeremy, 1748/1832, Inglaterra), que além de liderar essa Escola Filosófica foi o criador do Utilitarismo*; RICARDO (David 1772/1823, renomado economista inglês) e o filósofo e economista STUART MILL (John, 1806/1873, Inglaterra). A proposta central do Movimento era fazer profunda reforma social e paralelamente adotar o Liberalismo* Econômico como política de Estado.

Porém, para registro, cumpre notar, que vários eruditos, muito zelosos pela absoluta concordância do “Nome com a Coisa”, negam a essa Tendência o direito de se autodenominar “Radical”, pois segundo os mesmos, sua proposta central visava mais uma “Reforma” da situação vigente, que a sua substituição total e plena por um Regime totalmente diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário