Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 92

INATISMO – a tese de que algumas Idéias, Princípios, Estruturas Mentais são inatas; ou seja, já estão no cérebro humano desde o útero materno. São inerentes à natureza (as características, a forma de ser) do Homem; ao seu “Espírito”, ou à sua “Mente”, ou à sua “Alma”. E pelo fato de todos os Seres Humanos as possuírem é que tais Idéias são “Universais”; isto é, iguais em todos.

Dentro de seu Sistema Filosófico, Platão afirmava que o Homem tem “reminiscências”, ou recordações, lembranças, do “Mundo das Idéias”, onde vivem as Almas antes de nascerem (ou encarnarem) neste Mundo (sic). Essas lembranças são confusas na mente humana, como as que sucedem um sonho ou um delírio; e como não podem ser elucidadas causam em algumas vezes a “estranha de sensação” de já se ter estado em algum lugar, com alguma pessoa, participando de algum acontecimento e coisas do gênero. E isso sem que haja relação com sua vida material, atual. Em outras ocasiões, resultam dessas reminiscências as “Idéias Geniais”, as invenções, as descobertas etc. “que não se sabe de onde vieram”. É por isso, aliás, que o Mestre Platão dizia que: “o Homem não conhece. Reconhece”. Para Platão tais idéias já estão na “Alma”, que as traz quando “veste” o corpo físico. São imagens, saberes e fatos que tal “Alma” contemplou, como já se disse, em sua “vida anterior”.

Alguns críticos de Platão alegam que por esse modo de pensar, nada de autenticamente novo surge, pois tudo é fruto de recordações. São críticos que acreditam ser o Tempo comparável a uma “linha reta, infinita e direcionada para um rumo definido”; porém, vale lembrar, que para Platão o Tempo é mais bem representado por um Circulo, sem fim nem começo, em que tudo se repete. Portanto, de fato, se autênticas inovações acontecem, serão apenas as exceções que confirmam a regra.

Essa tese do Platonismo*, como as demais, é nitidamente influenciada pelo Hinduísmo e é preciosa para os seguidores de doutrinas espíritas, especialmente a intitulada de Kardecismo*, onde, infelizmente, é citada com freqüência sem que sua autoria original seja colocada, tampouco a transposição feita pelo filosofo grego. Erroneamente é citada, salvo as exceções, como se fosse um “ensinamento dos Espíritos”.

Igualmente para Descartes (1596/1650, França), as “Idéias Inatas” tem um papel decisivo em seu Sistema. Por serem Inatas, são elas que possibilitam a aquisição dos outros Conhecimentos, servindo-lhes, pois, como a base. E isso acontece por terem o caráter, ou a característica, de serem imediatamente acessadas pelo cérebro que as julga como “evidentes, claras e indubitáveis”. Dentre essas Idéias Inatas, para o francês, havia a de que “Deus existe”, bem como outras questões de aspecto transcendental.

Em alguns outros Sistemas de Pensamento, é a teoria que admite haverem Idéias que independem de terem existido experiências relativas anteriores. Aqui, já não se associa tão claramente com o fato de serem genuinamente “inatas” (até por uma questão de sintaxe), pois poderiam ser o produto da acumulação de Saberes que em algum momento produz uma solução tão inesperada quanto valiosa. Um “insight”, ou uma inspiração, sem uma explicação metafísica ou fisiológica.

Contemporaneamente esse Conceito de que o Homem já nasce com certas Idéias foi adaptado pelo Lingüista CHOMSKY (NOAM, 1928, EUA), que em suas teorias defende a noção de que há uma “Estrutura Lingüística” inata, do Pensamento Universal; ou seja, o Homem já nasce com a capacidade fisiológica e intelectual para falar. Note-se: para verbalizar Idéias e não simplesmente emitir sons.

É claro que no inicio essa capacidade é como uma pedra bruta que vai sendo transformada pelo acréscimo de Conhecimentos. Capacidade Universal, posto que seja própria de todos os Homens, embora persistam as diferenças individuais e subjetivas. Ainda segundo CHOMSKY, é a “Competência (ou a capacidade) do Falante” que permite o aprendizado da língua.

Também no Campo da Biologia, sobretudo em Genética, existem estudos e debates sobre quais características podem ser consideradas inatas (ou “de nascença”) no Individuo, principalmente as hereditárias, ou herdadas de seus antepassados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário