Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 82

HERMETISMO – derivado de “HERMES”, o deus grego que, entre outras funções e qualificações, conhecia o “Saber Sutil”; ou seja, o Conhecimento Superior que independe da matéria. O Saber sobre as Essências, sobre as “Verdades Divinas”. Hermes, também é chamado de “Mercúrio”, por ter sido plagiado pela “cultura” romana que dele fez o “Mensageiro dos Deuses” e aquele que acompanhava as Almas dos falecidos até ao HADES (a morada dos mortos).

Hermético, como se sabe, é sinônimo de “Fechado”, “restrito”, “acessível apenas a certas pessoas” etc. E é por essa qualificação que esse adjetivo é utilizado para designar certo tipo de Conhecimento compreensível apenas por determinadas pessoas. Geralmente, aquelas capazes de compreender tudo aquilo que o Homem vulgar, ou comum, não consegue sequer imaginar. Também por isso é o nome dado ao antigo e “indecifrável” Conhecimento que está nos chamados “Livros Herméticos”, cuja autoria é atribuída ao mítico deus egípcio chamado de HERMES TRIMEGISTO.

Fragmentos desses livros foram descobertos no século III dC. e traduzidos para o grego no século V, por MARSILIO FICINO (1433/1499, Itália). Em tais fragmentos encontra-se uma espécie de doutrina “oculta” ou “Esotérica (restrita a iniciados, ou a escolhidos)” que foi solenemente cultivada por alguns Alquimistas medievais.

Tal filosofia seria uma espécie de Iniciação a um tipo de “Alquimia Espiritual”, que tem como base um relacionamento direto entre o Visível e o Invisível, entre o Homem e o Universo, entre o Micro e o Macrocosmos etc. O Hermetismo, pois, permitiria o acesso a novas luzes, a novos saberes que fariam do Homem um “Novo Ser”, em um processo similar ao da Alquimia material que transformaria outros metais em puro e valioso ouro.

E esse “Novo Ser” poderia desembaraçar-se dos liames da Matéria, da rudeza dos desejos carnais, chulos e, com isso, chegar ao “Deus do Amor”.

Recorte – novamente é a idéia hinduísta de aprimoramento do Homem para que consiga superar os desejos impuros e atingir o Nirvana, enquanto vivo fisicamente, e o fim da Samsara (a sucessão de nascimento e morte física) depois de morto.

O Hermetismo influenciou fortemente os Pensadores do “Iluminismo”, pois ao prometer a valorização e a evolução do Homem, atendia aos requisitos do Humanismo* (a doutrina de que o Homem é o centro de tudo. Não confundir com generosidade humana.) vigente. E, também, pelo seu caráter de “Saber” misterioso, exótico. Característica importante para a época que ressuscitara a Mitologia e a Filosofia Clássicas que foram soterradas na Idade Média por imposição da Igreja Católica.

Mais recentemente, no século XIX, o termo “Hermetismo” passou a ser usado como um rótulo das “Ciências Ocultas”, ou do Ocultismo*.

Atualmente à função de rotular, foi-lhe acrescida a de nomear todo Pensamento considerado “indecifrável”, “impenetrável”, “incompreensível”. Sempre carente de uma interpretação acessória que lhe explique a natureza e o sentido. Claro que é uma referência ao Pensar que implique a necessidade de ser esmiuçado por algum especialista no assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário