Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético - 16

BEHAVIORISMO – termo inglês cuja tradução literal é “comportamento”. Pode-se afirmar que é a tendência moderna e a contemporânea da Psicologia de reduzir a si própria e/ou o seu Objeto de Estudo (aquilo que ela está estudando) ao Comportamento (que algumas “modelos” iletradas dizem “atitude”) do SER estudado, suprimindo de suas considerações a “Consciência”, o “Espírito” ou qualquer outra coisa que não possa ser observada e descrita em termos objetivos (ou científicos, ou, aqueles que podem ser captados ou percebidos pelos Sentidos e Processados pelo Raciocínio).
É comum dar ao russo PAVLOV a autoria dessa Doutrina, pois é dele a Teoria dos “REFLEXOS CONDICIONADOS” que inaugurou as Pesquisas Psicológicas em que se dispensavam os chamados “ESTADOS SUBJETIVOS” ou as “CONDIÇÕES INTERNAS”. Em outros termos, a tese de PAVLOV propunha que o Comportamento dos SERES era ditado por condições externas, sendo menos importante o “ESTADO de ESPÍRITO (triste, alegre etc.)” do Indivíduo estudado. São razoavelmente famosos os “cães de PAVLOV”, que salivavam (por apetite despertado) ao escutarem certo som que lhes precedia a refeição. Observando que essa salivação continuava ao ouvirem o mesmo som, mas sem que lhes fosse servida a refeição, o Sábio russo concluiu e proclamou que mais imperioso que os “FATORES SUBJETIVOS (ou pessoais, ou característicos da pessoa)”, era o estimulo externo que condicionava o SER a se comportar dessa ou daquela maneira. Frases do tipo “o cão queria”, “o cão desejava”, “o cão adivinhava” foram banidas no laboratório de PAVLOV, pois, para ele: “devemos, por acaso, para compreender os novos fenômenos, penetrar no “SER interior” do animal, representar suas sensações, instintos, desejos conforme o nosso modo de ser? Não! Respondia PAVLOV que em meados de 1903 rotulava de “desesperada” (do ponto de vista cientifico) a situação da Psicologia que insistia em estudar o Indivíduo a partir de seus “estados subjetivos”, ignorando a pressão exercida sobre o Indivíduo pelas condições externas que formavam sua vida.
O BEHAVIORISMO, enunciado claramente, foi batizado por J.B.WATSON em sua obra “O Comportamento – introdução à Psicologia Comparada”, de 1914. O BEHAVIORISMO tomou, então, a forma definitiva de ser a PROPOSIÇÃO (ou a proposta, a tentativa de, ou o desejo de ...) de limitar a pesquisa psicológica às Reações observáveis ou captáveis (pelos Sentidos e/ou pelo Raciocínio) do SER estudado, diante de certas pressões ou circunstâncias. A força dessa Doutrina baseia-se no fato de que exige em seus estudos a rigorosa a metodologia cientifica, que estipula que nada se pode dizer daquilo que não se pode observar, ou captar, ou perceber. E é essa exigência (que, aliás, caracteriza a própria doutrina) que lhe confere o status de “Verdade Cientifica”, ou, pelo menos, de “Busca ou pesquisa Cientifica”.
O BEHAVIORISMO, em várias ocasiões, foi julgado de formas diferentes e conflitantes. Para alguns é a negação da “Consciência”, do “Espírito”, ou dos “Estados Internos (ie, os ‘estados de espírito’)” do Indivíduo. Porém, na verdade, vê-se que o BEHAVIORISMO é apenas a NEGAÇÃO da INTROSPECÇÃO (ie, a auto-observaçao interior) a qual, por esconder os Pensamentos Íntimos, os Instintos, os Sentimentos do SER estudado não permite que se faça a pesquisa (ou estudo) psicológica adequada. Além disso, nunca se negou que a Doutrina é declaradamente um Estudo sobre o Comportamento e não uma pesquisa sobre os Motivos que levaram a tal comportamento. Em seu inicio, essa Tendência foi associada ao MECANICISMO*, que também desenvolve a teoria de que os Estímulos Externos são os fatores que produzem esse ou aquele Comportamento, tornando-os, por isso, previsíveis. Atualmente, tanto o BEHAVIORISMO como o MECANICISMO já são considerados ultrapassados, pois novas descobertas e afirmativas nos campos da Antropologia, Sociologia e Psicologia demonstram que junto aos fatores exteriores as características individuais dão aos mesmos fatores tantas respostas diferentes quanto são os indivíduos afetados pelos mesmos fatores. Os motivos externos continuam a ser importantes, mas deixaram de ser exclusivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário