Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 119

MISTICISMO, MÍSTICA, MISTÉRIOS

“porque existem mais mistérios entre o Céu a Terra do que sonha nossa vã filosofia ...” W. Shakespeare.

Como ocorrido em tópicos anteriores, antes de abordarmos o Sistema Filosófico em si, estudaremos os termos ou nomes que lhes são relacionados.

MISTÉRIO – do Latim tardio “MYSTERIUM”, alteração do termo raiz: “MINISTERIUM” = trabalho, ocupação.
Mistério é, como se sabe, tudo aquilo que não pode ser compreendido. Que não é acessível ao intelecto humano. Em termos Religiosos (ou teológicos) é uma “Verdade Revelada”; isto é, uma Afirmativa, de suposta autoria divina ou sacra, que é mostrada ao Homem; e que só pode ser compreendida graças ao esforço conjunto de raciocínio e fé. É algo que vai além do que pode ser entendido racionalmente. Exemplo disso é o “Mistério da Santíssima Trindade”, que os crédulos aceitam como verdadeiro mesmo sem compreendê-lo racionalmente.

Na Antiguidade, principalmente no Oriente, na Grécia e em Roma, existiram várias tendências Religiosas que eram envoltas numa atmosfera de segredo, com ritos secretos de iniciações, ou de celebração, além das outras práticas obscuras que envolviam seus dogmas em denso nevoeiro, só revelado aos membros graduados que passaram por um longo período de aprimoramento. Dentre outras, citaremos o Orfismo*, a Religião dos Ministérios de Elêusis e o Pitagorismo*, que foram as mais conhecidas. O Pitagorismo, aliás, é diretamente associado com a Filosofia Pré Socrática em razão de suas tentativas de explicar a Natureza física e pelas especulações que realizava na tentativa de compreender os significados da Realidade e da Vida. Em termos coloquiais, a palavra “Mistérios” também é usada para identificar tudo aquilo que se acha oculto, que não é compreensível em qualquer aspecto da vida.

MÍSTICA – do grego “MYSTIKÓS”, pelo Latim “MYSTICUS”. Em sentido geral é o elemento, cujo agrupamento com outros iguais, formará o Sistema chamado de “Misticismo”.
A Mística é um conjunto de crenças em Seres, Objetos, Lugares cuja existência e realidade ultrapassam o nível da racionalidade, das práticas comuns do cotidiano. Geralmente esse conjunto é considerado oculto para a maioria e, conseqüentemente, acessível apenas para a “Elite de Privilegiados” cuja maior capacidade sensitiva (sic) lhes permite vislumbrarem “Verdades” que não estão disponíveis para os “comuns”. São, tais privilegiados, chamados de “Médiuns”, “Sensitivos”, “Videntes” “Profetas (izas)”, Sacerdotes (izas) e coisas do gênero. A Mística, além de ser disponível só para alguns, também se caracteriza por comandar de maneira irracional as ações do individuo crédulo e do grupo de que ele é parte.
Normalmente os Místicos Verdadeiros (e não aqueles que se dizem, por modismo ou para se locupletarem de vantagens indevidas) são pessoas extremamente religiosas, ou “Espiritualizadas”, como se auto definem. Buscam a Mística por acreditarem que nela encontrarão a “chave” para o sobrenatural, para o divino; como achava, por exemplo, São João da Cruz (1545/1591) que foi um dos maiores Místicos do Cristianismo. A Mística, porém, encontra adversários ferrenhos, os quais dão ao termo um significado pejorativo quando o comparam com uma magia nefasta, ou a algo misterioso (ou pseudo misterioso) que exerce um fascínio pernicioso. Tem-se, então, a “Mística do Poder”, a “Mística do Ouro” etc.

MISTICISMO – é a doutrina daqueles que acreditam em outra Realidade, sobrenatural, metafísica, misteriosa e só acessível através de uma experiência extraordinária, que, via de regra, é chamada de “Êxtase Religioso”. Tal estado, que se aproxima do Nirvana1 hindu, é alcançado de várias maneiras, dentre as quais as mais comuns são:

1. ASCETISMO – como o total desapego das riquezas e dos confortos materiais.

2. AUTO-FLAGELAÇÃO – que pode estar inserida no item acima, Ascetismo, e que consiste de impor dor e sofrimento físicos ao próprio corpo, mediante jejuns, vigílias, açoites, cilícios e outros instrumentos de castigo.

3. PENITÊNCIA – a extremada penitência que pode estar associada aos dois itens anteriores. É formada pela rigorosa obediência ao que for estipulado por sua religião, ou seita, ou crença.

4. DROGAS – a ingestão de substâncias alucinógenas que produzem uma alteração na Consciência ensejando visões e sons sobre-materiais. Exemplos das mesmas são os “Peiotes” na América Central e no México, ou o “Santo Daime” no Brasil.

5. MEDITAÇAO INTENSA – a concentração intelectual extremada que é conseguida através de técnicas de meditação e que pode, ou não, estar associada à recitação de Mantras2, ou músicas espiritualistas (new agge), queima de incenso e outros rituais.

O Misticismo, como a Mística, é ferozmente combatido pelos adeptos do Racionalismo*, do Materialismo*, do Positivismo* e doutras tendências que crêem apenas naquilo que os Sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato) podem captar e o cérebro processar. Porém, nos últimos tempos, os cientistas, usando de modernos aparelhos hospitalares como a “Tomografia”, a “Ressonância Magnética” e outros, cientistas, puderam comprovar “cientificamente” que estados de meditação profunda, como os conseguidos por Monges tibetanos ou por Freiras católicas, alteram “materialmente” o mecanismo cerebral, deixando evidente que as censuras dos adversários do Misticismo terão que ser reformuladas; pois com o uso de seus próprios instrumentos “racionais”, os cientistas comprovaram que “janelas” são abertas e que, talvez em breve, a Física Quântica possa mostra o quê há além dessas “janelas”.

1) Nirvana - estado de "bem aventurança" que pode acontecer ainda durante a vida física daquele que consegue dominar suas paixões e libertando-se do jugo da "Vontade Insaciável". Normalmente é produto de uma vida ascética, piedosa e repleta de boas ações.

2) Mantra - silabas ou palavras que são recitadas em cadência apropriada para tornar o cérebro apto a entrar em estado de transe. Dentre todos, o mais conhecido é o Mantra hindu "AUM", cuja pronúncia é "OM", que simboliza a Divindade, a Eternidade.

Aos interessados em aprofundar-se nos Ensinamentos Hindus recomendo o livro de minha autoria "Deusas e Deuses Hindus - Dicionário Sintético" a venda em:

http://www.bliblioteca24x7.com.br/
http://www.amazon.com/
Livraria "Livro Aberto" - telefone 19 3237-7999
Ver capa na coluna à esquerda dessa página.

Nenhum comentário:

Postar um comentário