Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 98

INTUCIONISMO e INTUIÇÃO – nome dado às Doutrinas que usam a Intuição como base, ou que lhe atribuem importância fundamental no Campo do Conhecimento e da Ética. Abordaremos antes o significado do vocábulo Raiz “Intuição”:

INTUIÇÃO – é a compreensão total e imediata de um fato, de um objeto, ou de um SER. Para a maioria dos eruditos, é baseada em uma “Capacidade ou faculdade Especial” do Homem. Uma Sabedoria que surge de repente, sem a necessidade de antes terem existido Experiências e/ou Reflexões Racionais sobre o assunto. É o sentimento que aparece subitamente (uma “inspiração”, um “insight”) e que indica o caminho para se resolver um problema; ou então, para que aconteça uma revelação, uma descoberta.

É involuntária, pois não acontece segundo o “desejo consciente” do Individuo, mas (conforme alguns) é a “Resposta” dada pelo Inconsciente que trabalhou, ou processou os dados nele acumulado, sem que o Indivíduo participe diretamente da decisão de “quando” e “se” ocorrerá.

Alguns eruditos teológicos afirmam que a Intuição é uma capacidade que o Homem recebeu de Deus, por ser a Sua espécie predileta. Para outros, a Intuição é apenas um Instinto (animal) que o Homem Moderno herdou de seus antepassados mais remotos; e que, justamente por isso, ao contrário de diferenciar o Homem dos Animais, a Intuição só demonstra que ambos têm muito em comum.

Para DESCARTES (1596/1650, França) a “Idéia de Deus (ie, a noção de que Deus existe) e o “Cogito (o ato de duvidar que confirma a existência daquele que duvidou) são “Conhecimentos” originados pela Intuição. São intuitivos.

Para KANT (1724/1804, Alemanha), as noções de Tempo/Espaço são Intuitivas. São “uma Forma a Priori” da Sensibilidade; isto é, sem necessidade de qualquer Experiência seguida de Racionalização. O Homem intui, ou sabe intuitivamente, que tudo que Conhecer terá acontecido (ou está acontecendo) em certo Espaço e durante certo Tempo.

Voltando, pois, ao Sistema, observa-se que:

1. No Campo da Ética é a noção ou concepção de que o Homem aprende, ou compreende, os “Valores Éticos” pelo fato de que os mesmos são claramente evidentes. E é por conta dessa qualidade, ou característica, que a Compreensão é classificada como Intuitiva; sem a necessidade de ter sido precedida por Experiências e/ou Racionalizações. Aqui, deve-se notar que os “Valores Éticos” são relativos e mutáveis, porém isso não interfere na Intuição pelo simples fato de que o Homem intuirá os “Valores” que estiverem vigorando em sua época. Atualmente essa versão é alvo de muitas contestações, pois estudos provam que bebês não trazem do útero a noção de Valores Éticos, sendo que os mesmos lhes são ensinados no decorrer de suas vidas.

2. Já no Campo da Lógica (veja Logicismo*), o Intucionismo opõe-se à “Lógica Clássica”, pois enquanto esta se baseia na concatenação coerente das Idéias que resultam do processo Experiência, Racionalização e Conceituação; a “Lógica Intuitiva” ou “Intuicionista” inspira na “Matemática Intuicionista” de L.E.J. BROUWER (1881/1966, Holanda), para quem seria impossível deduzir toda Matemática somente da “Lógica Clássica”. Para BROUWER, a Intuição tem papel de destaque na formação do Conhecimento Matemático. Trata-se de uma forma de Construtivismo* que considera os elementos da Matemática (como os números, por exemplo) como “Construções Mentais”.

3. A Lógica Intuicionista NEGA o “Principio do 3º Excluído (1)”; admitindo, pois, a existência de Sentenças (ou proposições, propostas) que NÃO seriam nem Falsas, nem Verdadeiras. Seriam, na realidade, “Indecidíveis” (ou indefiníveis); pois só pode ser dada como Verdadeira a Sentença que possa ser comprovada através do “Conceito de Prova (ou os critérios para se comprovar algo) Intuicionista”, que é absolutamente rigoroso e exige que todas as provas sejam “Construtivas”; isto é, devem poder ser efetivamente “Construídas (mentalmente e teoricamente)”, o que exclui, por exemplo, “demonstrações” envolvendo o “Infinito (2)”. Fato que, aliás, indica que o Intucionismo é uma das Doutrinas que podem ser classificadas como um Sistema de Finitismo*.

1) O 3º Excluído – é um dos Princípios, ou uma das regras, principais da Lógica Clássica e que afirma: se uma Proposição é Verdadeira, a sua Negação é necessariamente falsa. E vice versa. Assim, não se admite a existência de uma 3ª alternativa, ou uma 3ª Possibilidade. Já na “Lógica Intuicionista” a eventual possibilidade de existir um 3º caminho não é impossível.


2) Infinito – nesta acepção a “Grandeza Matemática” que é arbitrariamente grande. Ou, aquilo que é incalculável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário