Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 71

FISICALISMO – do alemão “PHYSIKALISMUS”. Esse termo foi criado por RUDOLF CARNAP (1891/1970 – Alemanha) que o colocou em sua obra “Conceituação Fisicalista” de 1926.

O Fisicalismo caiu nas graças dos filósofos que integraram o “Circulo de Viena (ver adendo)” e passou a ser a doutrina oficial daquele agrupamento de Sábios. Também conhecido como “Empirismo Lógico” ou “Neopositivismo”, o Fisicalismo tem como idéia central que a Linguagem da Fisica1 é um modelo que deve ser seguido pelas outras ciências Naturais ou Humanas, principalmente a Psicologia. Com isso criar-se-ia as condições para se chegar a uma Ciência Unifica.

Essa linguagem da Física (e das demais Ciências, se fosse implantada sua tese) reduz-se, ou é formada por frases (ou sentenças) protocolares (formais, convencionais, em conformidade com as regras ou protocolos) que descrevem com rigorosa exatidão os dados da Experiência imediata (ou recém concluída) e as posteriores Sentenças (ou frases) Lógicas que analisam aqueles dados e emitem os devidos Conceitos. Disso se deduz que a verificação que se pode fazer após uma EXPERIÊNCIA EMPÍRICA (aquela que consiste na percepção dos dados ou características do objeto estudado, através do que foi captado pelos Sentidos; ie. audição, visão, tato, olfato, paladar) e a LÓGICA FORMAL (o correto alinhamento de raciocínios que fornece uma explicação ou um Conceito verdadeiro) que se utiliza para analisar esses dados, são a base da Doutrina Fisicalista.

Note-se, portanto, que ela nada traz de novo e os epítetos de Empirismo*, Materialismo* e Positivismo* são apropriados. Porém, o fato de propor que essas formas de pensar fossem levadas às outras Ciências deu-lhe a devida importância no meio intelectual.

Prega a Doutrina que “uma das tarefas mais importantes, em relação à Lógica (o pensamento corretamente organizado) das Ciências”, será desenvolver as operações, ou os métodos que o Fisicalismo afirma, para uso das demais. Ou seja:

1. Indicar as Regras Sintáticas (ou as corretas normas de se escrever) para a inserção adequada dos diferentes conceitos biológicos, psicológicos, sociológicos etc. na Linguagem da Física, que para a Doutrina, repita-se, é a mais correta possível.

Essa análise dos Conceitos escritos em diversas linguagens (a linguagem da Psicologia, da Sociologia, da Química etc.), conduz à noção de uma Linguagem Geral ou Única que acabaria com a dispersão que reina nas Ciências e que dificulta o Entendimento e a Evolução humana.

Física – como Ciência do Mundo Natural, ou material, a física está ligada à Filosofia desde sua origem. Os “pré socráticos” já tentavam explicar o Mundo Material ou Concreto através da lei da Física chamada de “Causa e Efeito”, ou “Ação e Reação” e de outras mais. Tentaram, e em certa medida conseguiram (veja-se o exemplo de Demócrito e sua teoria atômica), dar uma explicação sobre os acontecimentos promovidos pela Natureza. Posteriormente, a física foi objeto de estudo de grandes pensadores, como Newton que legou ao Mundo suas famosas Leis. Outros, também contribuíram para a elucidação de antigos “mistérios”, do que resultaram os conceitos de Gravitação, de Inércia etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário