Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 61

E
XEMPLARISMO, INCONSCIENTE INDIVIDUAL E COLETIVO – ARQUÉTIPOS – do latim “EXEMPLAR” = original, modelo. É a doutrina que afirma existirem arquétipos (ver a seguir), ou modelos, das Coisas sensíveis; isto é, daquelas que são captadas ou percebidas pelos Sentidos (visão, tato, audição ...). A filosofia de Platão é “Exemplarista” na medida em que afirma serem “AS IDÈIAS” os modelos das Coisas sensíveis.
ARQUÉTIPO é um termo, ou palavra, de uso freqüente em Filosofia e por isso, estudaremos o mesmo com mais profundidade. Segundo o Dicionário “Aurélio”, páginas 167 e 168, Arquétipo vêm do grego “ARCHÉTYPON” e significa “Modelo de Seres Criados”; ou padrão, exemplar, modelo, protótipo.
Em Psicologia esse termo foi utilizado à larga por JUNG (Carl Gustave 1875/1961, Suíça), psicólogo e psicanalista, para designar os elementos (as coisas, os seres, os fatos) que formam as “IMAGENS PSÍQUICAS DO INCONSCIENTE COLETIVO1. Imagens que são um patrimônio de toda Humanidade e que são as “Causas Primeiras (ou os motivos mais básicos)” dos Comportamentos Individuais. Ao contrário de Freud, de quem foi aluno, aliás que afirmava que os “desejos sexuais reprimidos” são a base do comportamento humano (principalmente os doentios e/ou desajustados moral e socialmente). Ver Freudismo. Citamos abaixo alguns exemplos de arquétipos e na seqüência estudaremos os Inconscientes.

Arquétipos Universais = “O Paraíso Perdido”, o “Dragão”, o “Circulo” etc. observa-se que essas figuras ou arquétipos estão em todos os Campos, seja na Mitologia, na Religião ou na Álgebra etc.
 
  1. INCONSCIENTE INDIVIDUAL – o Inconsciente Individual é o conjunto de fatos e processos psíquicos (pensamentos, elucubrações, sonhos etc.) que atuam sobre a forma do Indivíduo agir; porém, esses processos, idéias, fatos, pensamentos, sonhos etc. fogem da Consciência ou do Estado de Vigília (em que o Indivíduo está acordado e sabendo o que faz) e não se consegue torná-los Conscientes, mesmo que haja vontade e necessidade. São imagens que afloram apenas em momentos em que a Vigília sofre alguma interrupção, como quando o Indivíduo dorme e recebe aquelas imagens, pensamentos etc. em forma de sonhos. Ou então quando lhe “escapa” algum comentário inoportuno e em hora imprópria; é o chamado “ATO FALHO”. Além, é claro, naqueles indivíduos doentes mentais; ou seja, os neuróticos, os psicóticos e outros.
  2. INCONSCIENTE COLETIVO – é a parte do Inconsciente Individual que provem das Experiências vividas pelos ancestrais e que se tornam perceptíveis em certos símbolos ou emblemas que são encontrados nas Lendas, nas Mitologias e afins. Os “ARQUÉTIPOS UNIVERSAIS ou COLETIVOS” são essas imagens, esses símbolos, os quais, para JUNG ajudam a modelar o comportamento dos Homens, mesmo que de maneira oculta e indireta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário