Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 49

EMPIRIOCRITICISMO – sistema filosófico criado por RICHARDS AVENARIUS (1843/1896, Alemanha) que o apresentou em sua obra “Critica da Experiência Pura”. Aqui, vale lembrar, a palavra “Critica” é sinônimo de “Estudo Minucioso”. AVENARIUS não se preocupava apenas em delimitar o alcance e a validade da Experiência Pura, ou seja, daquela que não teve interferência da Razão ou do Raciocínio. Em sua tese ele descartava todas as Teorias e suposições metafísicas; consequentemente considerava que apenas a Experiência (que estuda os fenômenos usando os Sentidos: tato, paladar, audição, visão, olfato) É válida para efeito de Conhecimento e de inserção no ambiente.
Algumas de suas teses foram aceitas por ERNST MACH, que dizia: “uma Teoria sobre o átomo pode ser útil cientificamente, mas não prova a existência dos átomos”; ou seja, ele nada poderia conhecer do átomo através da Teoria.
Contudo, foram severamente criticadas por LÊNIN, que em seu principal livro “Materialismo e Empiriocentrismo” censura alguns de seus conterrâneos, principalmente o filósofo BORGDANOV. Acusa-os de “reacionários”, “burgueses” e “fideístas”. O primeiro adjetivo em função de que, na medida em que se considera a História como pré determinada, está-se admitindo que nada pode ser mudado; ora, tal crença é um Conservadorismo explicito, logo, quem o tivesse um seria “reacionário”. Quanto ao “Fideísmo” o adjetivo, em tom pejorativo, vinha pelo fato de que a proposta do Empiriocriticismo previa que se aceitassem as “Verdades” apenas através do que os Sentidos captaram na Experiência, sem qualquer validação que pudesse ser oferecida pelo Raciocínio. Em relação ao adjetivo “Burguês” é uma soma das duas negatividades anteriores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário