Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético - 20

CIENTIFICISMO – a doutrina pregada por aqueles que possuem (ou por seus admiradores) saberes técnicos, racionais e objetivos e, por isso, julgam-se os donos do “Verdadeiro Conhecimento” acerca da Realidade, considerando, é claro, que essa Realidade é composta ou formada apenas por coisas materiais, físicas. Desnecessário dizer que não admitem a Metafísica ou qualquer outro conceito abstrato (os Sentimentos, por exemplo). É uma classe de Pensadores que se aproxima (se não forem os próprios) dos Materialistas, dos Mecanicistas e assemelhados, cujas doutrinas terminam onde começaria a especulação (o pensar) filosófica das questões superiores que buscam atingir a Essência (o que está por trás das Coisas) dos fatos, dos atos, dos objetos.
Embora sempre tenham existido tendências de cunho Materialista, é agora, na Atualidade, que o eco Racionalista (a Supremacia da Razão) do Renascimento ganhou mais força. Para alguns porque, de fato, o notável avanço da Ciência (e, através dele, o do Conhecimento das Leis da Natureza que atingiu seu ápice derrubando mitos, dogmas, superstições e outros Pensamentos abstratos), habilitaria os Cientificistas a exercerem o Governo segundo sua ótica. Outros, porém, vem no Cientificismo a comprovação da imbecialidade geral que não consegue superar os limites impostos pela Matéria e nem se incomoda pelo alcance do mesmo esbarrar na Física, deixando sem resposta (sem sequer estudos) as questões mais profundas. Tome-se como exemplo a seguinte situação: a Medicina consegue prolongar artificialmente a vida, mas não consegue responder: o quê é a Vida?
Polemicas à parte, vê-se o Cientificismo ser regulado por três normas, ou “artigos de fé (isto é, dignos de completa crença)”:
  1. A Ciência é o único Saber Verdadeiro, portanto é o melhor.
  2. A ciência é capaz de responder a todas as questões teóricas e de resolver todos os problemas práticos, desde que as perguntas sobre os mesmos sejam formuladas de modo claro e perfeito.
  3. É extremamente desejável (se não necessário) e francamente legitimo que o Poder de gerenciar as Coisas Humanas seja dado aos Cientistas e aos técnicos, pois se somente eles têm as respostas, apenas eles serão capazes de governar e ditar as Leis que regulem a Moral, a Ética, a Educação, a Política e todos os outros assuntos da coletividade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário