Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético - 14

ATOMISMO – a palavra átomo vem do grego e significa “indivisível”, ou seja, aquilo que não pode ser dividido. Atualmente é de uso corrente e não é raro que seja mencionada como nome de uma fonte de energia para alguns, e de perigo para outros. Claro que nos referimos às Usinas Atômicas, às Bombas Atômicas e correlatas. Desde o Ensino Médio, a teoria formulada pela dupla de filósofos pré socráticos, LEUCIPO e DEMÓCRITO, é apresentada aos estudantes e como não há o rigor desejável e que seria necessário, acaba-se se confundindo a Teoria Cientifica com o Atomismo Filosófico. Obviamente que aqui focaremos o segundo aspecto, por ser o assunto desse livro. Contudo, fica a sugestão para um aprofundamento no primeiro tópico, pois cada vez mais a Ciência se aproxima da Filosofia e compreender os pensamentos científicos ajuda em larga escala o entendimento da filosofia da questão. Sobre a Teoria Cientifica, diremos apenas que a imaginada indivisibilidade do Átomo já pereceu por conta das continuas descobertas que deram aos cientistas os saberes sobre as Sub-Partículas (Prótons, Nêutrons e Elétrons). A divisão dessas sub-particulas também é só uma questão de tempo e, depois destas, outras e mais outras até que se esgote a matéria, ou o corpo físico dos Átomos. Ai chegando, teremos a “supra matéria” ou a Metafísica. O que está “acima”, “por trás” ou “além” da matéria física, concreta (mesmo que microscópica). Ter-se-á, então, de se recorrer à Filosofia para se estudar os fundamentos, as bases, sobre as quais se formam os Fenômenos captáveis pelos nossos sentidos. Vimos que LEUCIPO, DEMÓCRITO e posteriormente EPICURO e o poeta latino LUCRÉCIO acertaram quanto à composição inicial ou primordial da matéria, mas por serem “Filósofos da Natureza” ou “Fisicistas” não conseguiram avançar além desse ponto. E essa explicação dos corpos físicos mostrou-se insuficiente para revelar outros aspectos da vida.
Enquanto vigiu a Escolastica1, na Idade Média, os aspectos mais sutis da vida, como os Sentimentos e as questões psicológicas, eram acomodados (incorretamente, diga-se) pelo ponto de vista da Religião, principalmente o Cristianismo Medieval. Com a chegada do “Renascimento”, não houve grande progresso em virtude da colocação do Raciocínio (ou Razão) como o eixo sobre o qual tudo girava. Apenas em tempos mais recentes, mormente com os avanços na área da Psicanálise é que a constituição feita pelo ajuntamento de Átomos migrou da matéria para o “Pensar”, “o Sentir”. Além do corpo começou-se a especular se também a Alma (ou Espírito, ou Consciência) seria formada pela agregação de partículas. Desses estudos resultou o chamado “Atomismo Psicológico”, que é a doutrina que defende a idéia de que o Pensamento e o Espírito são feitos de elementos psíquicos (ou mentais) separados e que se agregam em certo momento. Tal como acontece com os Átomos que se juntam formando as Moléculas, as quais unidas formam os corpos físicos. Na década de 1920, LUDWIG WITTGENSTEIN e BERTRAND RUSSEL propuseram o chamado “Atomismo Lógico”, no qual se prega a idéia de que o Significado completo das frases (ou Sentenças) deve ser procurado nas ditas “Sentenças Moleculares”. Nestas, há que se procurar seus Átomos (ou Elementos) que trazem em si o significado fundamental (o verdadeiro, o mais completo possível) que se relaciona diretamente com os elementos básicos das Coisas perceptíveis pelos Sentidos e Processadas pelo Raciocínio. Em outros termos, teremos:

01 – Frase ou Sentença
02 – Frases Moleculares, que juntas formam a Frase ou Sentença
03 – Elementos, que juntos formam as Frases Moleculares. São eles que se relacionam diretamente com As Coisas Reais, podendo por isso representá-las ou significá-las.

Exemplo: “o chão é duro”, onde:

Chão – significa exatamente uma Coisa: o solo físico, concreto.
Duro – significa exatamente uma qualidade daquela Coisa.

Logo, se tenho significados diretamente relacionados com a Coisa que significam, o estudo desses elementos básicos haverá de propiciar o entendimento correto da Sentença (ou frase).
Posteriormente a dupla de filósofos abandonou essa Teoria, provavelmente pela compreensão que a Filosofia exige mais que uma simples adição.

Escolástica – ou Patrística. Filosofia exercida pelos religiosos na Idade Média.

Nenhum comentário:

Postar um comentário