Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético - 12

ANIMISMO – esse nome debutou no cenário da filosofia em 1934, graças a TYLOR que o expôs em sua obra “PRIMITIVE CULTURE”. O filósofo usou-o para dar nome às crenças dos Homens primitivos que acreditavam que todas as Coisas eram “Animadas”; ou seja, vivas. Dessa crença surgiu a Corrente que buscava explicar todos os fatos e acontecimentos como resultados das Forças ou Princípios (animados) existentes nas Coisas e nos Seres. Para TYLOR, esse Animismo deveria ser tido como o precursor da Metafísica (ou sobrenatural) e das Religiões na medida em que se acreditava em Potências (Forças) situadas Além ou Acima da Matéria. Para ele, a primeira e principal ocupação do Homem Primitivo era explicar de algum modo os fatos que aconteciam ao seu redor e como nem sempre os acontecimentos provem de uma Causa sensível (que pode ser Sentida, captada pelo Homem através da visão, do olfato, do tato, do paladar ou da audição) ou é resultado de um Processo conhecido, nossos Ancestrais lançaram mão do recurso de atribuir as Causas, os Motivos e as Conseqüências aos “deuses”, que não eram outros senão alguns animais, certas plantas, algumas rochas, à água, ao fogo. etc. Embora ilógica e indemonstrável era a “explicação” possível e que os satisfazia. Posteriormente essa tese de TYLOR foi derrubada pela observação sociológica que indicava que a primeira preocupação do Homem Primitivo não era explicar os Fenômenos, mas sim cuidar da sua própria conservação. Tanto no que tange à busca por alimentos, quanto à procura por abrigo contra as intempéries e os animais da época. Por conseqüência, as “questões filosóficas e/ou religiosas” só eram estudadas se houvesse relação direta entre as mesmas e as urgências cotidianas, ou então quando houvesse tempo de sobra, como foi no Mundo antigo, especialmente na Grécia Clássica que pôde montar seu esplendido arcabouço filosófico graças ao trabalho escravo que permitia aos seus cidadãos o tempo necessário aos estudos. Para alguns estudiosos, aliás, a Religião primitiva vinculava-se muito mais com a Magia que tinha a missão de responder pelo Sobrenatural (ou Metafísico). Seria a Magia, por conseguinte, a verdadeira matriz das Religiões atuais.Atualmente traços do Animismo podem ser vistos em rituais onde são veneradas as “Forças da Natureza”, as “Energias Telúricas (ou da Terra); ou então, no dia a dia, através dos remédios homeopatas que servem a “Essência” de certa planta ou de outra matéria. Ou, então, através do uso dos “Florais”, da crença em Astrologia e outras congêneres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário