Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 16 de março de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 104

LEGALISMO – no Campo da Moral é o Sistema filosófico prega que o Individuo – e principalmente o Poder Judiciário e sua extensão, a Policia – observem rigorosamente a “Letra da Lei” e não o “Espírito da Lei”.


Dessa forma, o rigor e a frieza dos Códigos haverá de ser aplicado sem que exista qualquer abrandamento no Julgamento e na aplicação da Pena ao transgressor. A diferença entre “A Letra e o Espírito” da Lei pode ser observada no exemplo que segue:

Existem crimes que são considerados “famélicos”, ou seja, cometidos em razão da fome que acometia o infrator. Nesses casos o individuo, em completo estado de penúria e faminto, rouba um pão para saciar a fome.

Segundo a “Letra” da Lei, o individuo cometeu o mesmo delito que aquele que roubou um banco; e por isso deverá ser julgado e apenado de maneira igual.

Porém, segundo o “Espírito da Lei”, o individuo deverá ser julgado e apenado com compaixão e de forma mais branda. O “Espírito (ou à vontade, o desejo) da Lei” não é apenas punir um ilícito cometido. Ao contrário, é salvaguardar o patrimônio, alertando que o tamanho do atentado contra ele, será castigado de maneira proporcional. Logo, um pão roubado, não é o mesmo que uma grande soma furtada; portanto, os castigos devem ser proporcionais.

Ao se falar em “Espírito da Lei”, é sempre importante lembrar que a mesma foi feita pelo “Espírito (ou Intelecto, ou Consciência, ou Alma)” do Homem e que embutida nas “letras” está o desejo maior de prevenir um crime do que castigar um criminoso.

A esse respeito Kant (1724/1804, Alemanha) observou que: “Se a vontade (de alguém) se determina (propõe-se a seguir) conforme a Lei Moral, mas não por respeito à Lei, o ato (que praticar) terá legalidade, mas não moralidade”; isto é, o Individuo segue a Lei, mas intimamente não tem respeito nenhum pela mesma e sempre que cometer um ato o fará dentro da Lei, mas não de acordo com a Moral. Como si diz: pode ser Legal, mas será legitimo?

O Legalismo, por tudo isso, é um Sistema Filosófico muito combatido em Países e Sociedades livres, mas floresce em regimes mais fechados, principalmente contra aqueles que não prestam vassalagem ao Ditador de plantão.

Por outro, o Legalismo no Campo das Ciências é a Doutrina que prega ser indispensável que o Homem estabeleça as “Leis” da Natureza, sem perder tempo em busca dos motivos ou das Causas daqueles efeitos. Efeitos, aliás, que serão os objetos das mesmas “leis da natureza”. Na verdade, é um Sistema derivado do Materialismo, onde o que importa é apenas o concreto, o físico e, ao cabo, aquilo que pode enquadrado em uma “Lei”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário