Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 53

ESQUEMATISMO – do grego “SKEMA” = contorno, delimitação, forma, figura.
Essa tendência filosófica foi usada, sobretudo, por KANT (1724/1804, Alemanha) em sua Teoria do Conhecimento. Para o filósofo, o Esquema é aquilo que permite a aplicação dos “Conceitos Puros (o Tempo e o Espaço, que são noções que o Indivíduo tem mesmo antes de qualquer experiência)” sobre tudo aquilo que foi captado na Experiência Empírica (que estuda os fenômenos usando os Sentidos: tato, paladar, audição, visão, olfato).
Grosso modo, podemos imaginar o “Esquema” como se fosse um “molde” de alfaiates. Sobre uma peça de tecido (o conjunto das informações captadas), tal “molde” seria colocado e aquela massa de tecido seria organizada de acordo com os limites do “molde”. O “tecido” que não pôde ser ajustado é descartado, tal como acontece com os resultados das Experiências que não passam pelo filtro do Esquema Intelectual e são esquecidos sem gerar Conhecimento ou efetivo Saber. A partir dessa metáfora fica mais fácil entender o que KANT afirmou quando disse: “tudo que acontece, acontece em certo Espaço e em determinado Tempo”. De fato, se não se pode localizar certo “acontecimento” ou “resultado de alguma experiência” dentro desse “Esquema de Tempo e Espaço”, pois a percepção que fora captada pelos Sentidos (tato, paladar, audição ...) não é retida e, claro, não pode ser Processada Intelectualmente gerando o efetivo Saber.
Outros exemplos de Esquemas existem em bom número, como a planta de uma casa, o desenho de uma máquina etc. Em termos de vida prática podemos definir o Esquema como um conjunto de instruções, desenhadas ou não. Todavia, em termos de Filosofia, a definição é um pouco mais difícil, na medida em que se trabalha com vetores abstratos, de ordem Intelectual. Conforme o exemplo acima, mais que um conjunto de instruções, seria mais um modelo de como tudo deve ser organizado, segundo as “exigências” ou “características” ou “possibilidades” do “molde”, sob pena de serem invalidados os itens que não se ajustarem.
Pelo fato de ser um produto da imaginação, que não forma nenhuma imagem (como desenhar o “Tempo”, o “Espaço”?), a dificuldade se estabelece e o própria KANT admitia essa dificuldade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário