Quem sou eu

Minha foto

Escritor por ofício, natural de Poços de Caldas - MG, 57 anos, divorciado, residente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Acadêmico correspondente da Academia de Arte de Cabo Frio e cidades da região dos lagos RJ; Acadêmico correspondente da Academia de Artes de Fortaleza CE; Acadêmico Corresponde da Academia de Letras ALPAS 21, Porto Alegre, RS.

Colunista nos Websites de Literatura:

  1. Recanto das Letras - Brasil
  2. World Art Friends - Portugal
  3. Poesia Fã Clube – Portugal
  4. Luso Poemas - Portugal

e titular dos  WebSite e Blog:

www.fabiorenatovillela.com

http://fabiorenatovillela.blogspot.com

                        LIVROS SOLOS PUBLICADOS

  • Poética 1 (pré lançamento)
  • Filósofos Modernos e Contemporâneos - (prelo)
  • Adaptação de OS LUSÍADAS ao Português Atual – 2000 -2007 - 2013
  • Umas 300 Poesias - 2012
  • Gregas Tragédias - Resumos Comentados - 2011
  • Cristina Poema – 2011
  • Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético de Filosofia (02 tomos) - 2010
  • Crônicos Contos Poéticos – 2010
  • Versos Reversos, poemas – 2010
  • Lilian em Versos - 2010
  • Deusas e Deuses Hindus - 2009
  • Onomástico dos Personagens e Lugares Bíblicos - 2009
  • Sobrevivendo com o Câncer Linfático – 2000 - 2012

Participação em trinta e duas Coletâneas e Antologias.

ALGUNS PRÊMIOS RECEBIDOS:

  • Classificado em 1º lugar no “MAPA CULTURAL PAULISTA” da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de SÃO PAULO em 2013-2014 com o poema “Sete de Setembro”. 
  • Eleito um dos melhores poetas luso-brasileiros de 2012, pela Associação de Poetas de região autónoma de Madeira - Secretaria de Cultura de S.G do Amarantes, PORTUGAL, em comemoração ao ano do Brasil – Portugal.
  • Classificado na seletiva da Editora "L-Harmattan", Paris, FRANÇA, em 2010 com o livro "Lilian em Versos". 
  • Classificado para a Feira do livro de Frankfurt, ALEMANHA, em setembro/outubro 2010, com os contos "A Valsa" e "Deus, o homem e o vinho". 
  • Eleito "POETA REVELAÇÃO", em 2009, pela Editora Corpos cidade do Porto – PORTUGAL. 
  • Selecionado em 2006, pela Biblioteca Pública do Estado do Paraná, CURITIBA, para integrar o acervo digital da Instituição com o livro do livro "Sobrevivendo com o Câncer (1ª edição)". 
  • Classificado em 2º lugar no “XVI Concurso Internacional de Literatura da ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS com a poesia "SECA" e menções honrosas para as poesias “A vida é”; “A tortura”; “Cordel”; “Boca” e “Ceia”. 
  • Classificado em 1º Lugar no “XV Concurso Internacional de Literatura – ALPAS 21”, PORTO ALEGRE, RS, com o Conto "Deus, o homem e o vinho". 
  • Classificado em 2º Lugar no “XIV Concurso Internacional de Poesias - da Casa de Cultura” CRUZ ALTA, RS. Com o poema “Luz” e menções honrosas para as poesias “Voz”, “Jarro” e para o conto “Lulu vegetariana” 
  • Classificado como um dos melhores poetas de 2009 pela ed. CBJE – Brasil, com a poesia "Ausência em amarelo". 
  • Eleito "Personalidade do ano de 2010" e “Personalidade do ano de 2012/2013” na área de produção literária, pela ARTPOP, Academia de Artes de Cabo Frio e região dos Lagos no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Filosofia Sem Mistérios - Dicionário Sintético 48

EMANATISMO – tendência filosófica que, através de certo Panteísmo*, afirma que o (s) Universo (s) NÃO foi “Criado” por algum Deus e em certo momento. Não é, pois, uma “obra” que antes fora desejada, planejada e, depois, realizada pela divindade. Ao contrário, o (s) Universo (s) existe porque “naturalmente” emanou (saiu) de Deus, sem que para tanto Ele precisasse desejar, planejar e realizar. Grosso modo, pode-se ter um exemplo na Respiração: a aspiração e a expiração do ar é “naturalmente ou automaticamente” vinculada aos Seres Viventes. Ocorre independentemente de um desejo voluntário consciente.
O termo “EMANAÇÃO” é de uso freqüente na Filosofia e por isso cremos ser oportuno abordar-lhe com mais detalhes. A palavra “Emanação” vem do latim “EMANATIO” e tem como característica básica ser diferente, ou oposta, ao conceito de “Criação”. A “emanação” é um Processo e não um “Ato Isolado”. E é através desse Processo que Deus (ou qualquer outro Ser criador) gera (ou produz, ou faz, ou fabrica etc.) os Seres e as Coisas que formam ou constituem o (s) Universo (s), sem que essa Produção ou Fabricação seja previamente desejada e planejada. Tampouco será interrompida.
Contudo, como não há interrupção na geração, essa continuidade acabaria superlotando os respectivos habitat e, então, para que tal não aconteça, o Processo de Emanação prevê a substituição/transformação dos Seres e das Coisas geradas no transcorrer do Tempo. Isto é uma das formas em que se apresenta o DEVIR1. Quanto ao destino dos “Seres e Coisas Substituídas/Transformadas” as versões seguem a ideologia da doutrina sob a qual se estuda esse “Movimento Perpetuo”. No Bramanismo*, por exemplo, temos o Conceito da SAMSARA2 que é a idéia de que os Seres Finitos voltem (apenas como Almas ou Espíritos ou Consciência etc.) para o Infinito de onde saíram. E, depois, tornem a regressar ao Mundo Físico e, depois, novamente tornem a morrer num movimento circular que prevê um fim definitivo apenas para os Seres que cumpriram tantas etapas quanto foram necessárias para que se aperfeiçoassem. Já para a CABALA, os SEPHIROTS3 nascem (ou brotam, ou emanam) espontaneamente do “Absoluto”. Para os NEO-PLATÔNICOS, o Real ou a Realidade é formado pelas Emanações que brotam automaticamente do UNO.


1.     DEVIR – literalmente, o “Movimento Perpétuo”. Conceito filosófico exarado pelo pré Socrático HERÁCLITO, para quem a única Coisa real (em essência) é o Movimento Universal. Tudo flui, tudo transcorre. É a Lei do Universo. Para melhor compreender podemos tomar como exemplo, embora imperfeito, a máxima de LAVOSIER: na natureza nada se cria, nada se perde. Tudo se transforma. Ou seja, se algo parece Ser, nada verdade, NÃO É, pois esse algo é apenas o produto de transformações (do movimento) e um dos elementos que também serão transformados no tempo. Para os crédulos, no SER humano apenas a Alma é real – que existe realmente -, pois o corpo físico será transformado com o tempo até que a transformação seja de tal sorte que paralise suas funções e ele se junte a outros elementos para formar “novas Coisas”. A alma preservada, porém, não ficará inerte, pois logo habitará outro corpo físico para que continue seu processo de aperfeiçoamento. Para que continue movimentando-se. Afinal, também ela está sob o domínio do DEVIR.


2.     SAMSARA – a Roda de nascimento/morte. Sugiro consultar meu livro intitulado “Deusas e Deuses Hindus – Dicionário Sintético, no endereço abaixo:


      3. SEPHIROTS – fluxo de energia vital que anima os SERES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário